Igreja Paroquial da Camacha

Foi o alvará régio de D. Pedro II, de 28 de Dezembro de 1676, que autorizou o bispo diocesano D. António Teles da Silva a criar esta paróquia. Esta apenas ficou definitivamente constituída no ano de 1680.

Gaspar Pinto Correia foi o primeiro pároco no período decorrido de 1680 a 1699, tendo-lhe imediatamente sucedido os padres Manuel Simão de Gouveia, António Gomes Germano e Manuel João Barreto, até meados do século XVIII. Desde a sua criação até o presente, 31 sacerdotes já exerceram funções paroquiais nesta freguesia, como párocos efectivos dela. O primitivo vencimento do vigário foi de 10.000 réis anuais, um moio e meio de trigo e uma pipa e meia de vinho, que, com o decorrer dos tempos e aumento do número de fogos, sofreu alguns acrescentamentos.

A sede da paróquia estabeleceu-se na capela da invocação de S. Lourenço tendo sido construída por Francisco Gonçalves Salgado. Nada sabemos acerca do ano e local em que se ergueu o pequeno templo, mas conjecturamos que não era no mesmo lugar onde depois se veio a erigir a actual igreja paroquial.

Há a vaga tradição de que no sítio dos Salgados existiu uma pequena ermida, lugar este que se acha ser o lugar onde se instalou a paróquia por ocasião da sua criação.

A primeira pedra para a construção da actual igreja foi lançada a 30 de Setembro de 1783.

Tinha esta paróquia uma escola oficial para cada sexo, sendo a do sexo masculino criada em 1862, e a do sexo feminino, por decreto de 12 de Agosto de 1914. A primeira, desde a sua criação, tem tido como professores Miguel Luiz Valério, Luiz Teixeira de Vasconcelos, Constâncio Figueira da Silva e Manuel de Jesus de Antas e Almeida. A primeira professora da escola do sexo feminino foi D. Maria das Mercês Lopes de Faria.

O Cemitério paroquial foi construído em 1856, por ocasião da epidemia colérica, em terreno para esse fim oferecido pelo Conde do Carvalhal, que era um dos maiores proprietários desta freguesia.


© 2021 Junta de Freguesia da Camacha. Todos os direitos reservados | Termos e Condições

  • GESAutarquia